Josenilson Leite - Poeta de Garanhuns
Poemas da vida, palavras do coração
Textos
Praga Febril
Por: Josenilson Leite Poeta de Garanhuns

Diante do caos
Que assola o mundo
Com a pandemia.

Crianças nascendo
Adultos morrendo
Uma triste agonia.

Trancados em casa
Ou soltos na rua
Sem ter alegria.

Distante um do outro
Querendo um afago
Que antes podia.

Abraço impossível
Sorriso escondido
Humanidade fria.

Não sei o que faço
Eu quero um abraço
Eu quero alegria.

Quero o sorriso a mostra
Os amigos de volta
Vivendo em Harmonia.

Faltou a fogueira
Faltou a quadrilha
Não teve São João.

O Forró não tocou
Madrugada a dentro
No meu palhoção.

Eu quero as ruas
Bem cheias de gente
Como tempos atrás.

Crianças correndo
Brincando e se divertindo
Com sorrisos leais.

Meu Deus eu confesso
E com fé eu te peço
Já sofremos demais.

Liberta o Brasil
Dessa praga febril
Traz de volta a paz.
Josenilson Leite Poeta de Garanhuns
Enviado por Josenilson Leite Poeta de Garanhuns em 28/06/2020
Alterado em 28/06/2020
Comentários
VIDA EM VERSO E RIMA R$20,00 História de um Campeão R$3,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras