Josenilson F. Leite - Poeta de Garanhuns
Poemas da vida, palavras do coração
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


 
Soldados de Engenharia

Lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
Com a ponte m4

Pra transpor aquele rio.

Cansados, mas persistentes
Montando a ponte m4
Ombro a ombro
Braços dados
Unidos pelo mesmo ideal
Vibração e satisfação.

Lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Vão lutando, vão vibrando
E a ponte terminando
Na 2ª margem chegando
Mesmo com dores nos ombros
O peso da viga aumentando
Suas mãos encaleijando
Normal, curta ou afilada
Numa batalha danada
Para a ponte ser montada
E sua tropa apoiada.

E lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Tragam os flutuadores!
Barra de conexão!
Façam agora o alinhamento!
E depois a união!
Ligue então os compressores!
E comece a inflação!

E lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Vamos trazer os painéis!
O de sela e o da prolonga!

A vibração daqueles soldados é tamanha
Que fico a observar:
A seção extremidade!
A central e a prolonga!

O comandante dando ordens
E os engenheiros a trabalhar.

E lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Barras de conexão!
Tragam duas para montar!
Dois adaptadores de sela!

E duas travessas para terminar!
Depois encham os roletes!
Na água podem lançar!
A sela que terminamos!
Para no corpo da ponte conectar!

E lá estão os engenheiros
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Aqueles soldados valentes
Me fazem arrepiar
Com fome, com frio ou com sede
Não param de trabalhar.

O tempo está fechando!
Tem nuvens no céu a pesar!
Alguns pingos já estão caindo!
Parece que vai aumentar!

Já corri e me abriguei
Mas continuo a observar
Tudo aqui está em lamas
Mas eles não param de trabalhar!


E lá estão os engenheiros
Com fome, com sede e com frio
Vencendo o desafio
De transpor aquele rio.

Perguntei quanto faltava
Para a ponte terminar
Vejam só bela resposta
Que o soldado veio dar.

"Falta pouco meu amigo
O senhor pode notar
Mas não há tempo que pare
A engenharia militar!"

"Dei-me licença meu amigo
Eu vou pra ponte vibrar
Mas assim que estiver pronta
Eu venho lhe avisar!"


E lá se foi o engenheiro
Pra vencer o desafio
De transpor aquele rio.


Agradeci ao soldado
Muito bem eu fui tratado
Nem parecia estar cansado
Nem com fome
E nem molhado.

Confesso que fiquei abismado
Com a vontade do soldado
Em vencer o desafio
De transpor aquele rio.

Por volta das vinte horas
De 1º de novembro de 2000
Aquela tropa vibrava
Por ter vencido o desafio
De chegar na outra margem
E transpor aquele rio.
 
Veio logo o engenheiro
Que eu tinha interpelado:
"Meu senhor está montado

O meio de transposição
Que montamos com orgulho
Para o nosso adestramento
Em defesa da Nação!"

Os meu olhos foram enchendo
E as lágrimas caindo
Só eu sei o que estou sentindo
Que tamanha emoção!

Se eu pudesse ser soldado
Da arma de engenharia
Ser unidos como eles
E trabalhar com alegria.

Ser soldado engenheiro
Pra defender minha nação
E vencer o desafio
De transpor aquele rio!

Pena que não fui soldado!

 
Josenilson Leite Poeta de Garanhuns
Enviado por Josenilson Leite Poeta de Garanhuns em 26/08/2012
Alterado em 26/12/2015

Música: Ver a vida_PB - Ricardo Alexandre

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

VIDA EM VERSO E RIMA R$33,00 História de um Campeão R$3,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras